Você está aqui:

Notícias

A taxa de incidência do coronavírus em Minas Gerais registrou queda de 35% nos últimos 14 dias. A redução dos casos, que reflete o sucesso da vacinação contra a doença no estado, foi destaque na reunião desta quinta-feira (21/10) do Comitê Extraordinário Covid-19, grupo que acompanha a situação da pandemia em Minas.

Todas as 14 macrorregiões do estado continuam na onda verde do Minas Consciente. A decisão foi comunicada na reunião do Comitê pelo secretário de Saúde. Na fase mais flexível do plano, todas as atividades ficam permitidas, mas desde que regras como uso de máscara, distanciamento e manutenção das medidas de higiene e segurança sejam mantidas, para evitar novos casos.

Quinhentas cidades de Minas Gerais não registraram óbitos por covid-19 de 6/9 a 6/10/2021. Os dados foram informados pelas prefeituras à Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), e constam no sistema Sivep, do Ministério da Saúde.

O número, que corresponde a 58% dos municípios do estado sem mortes pela doença em um mês, revela a eficácia da vacinação contra o coronavírus.

O percentual de imunização com a primeira dose já chega a 83 % da população acima de 12 anos e, com o esquema vacinal completo, passa de 50% desse público.

Mais de 50% dos mineiros adultos estão imunizados com as duas doses ou dose única da vacina que combate o coronavírus.

A marca foi um dos destaques apresentados pelo secretário de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, durante a apresentação semanal do Comitê Extraordinário Covid-19, grupo de acompanhamento da pandemia.

“Fechamos setembro com esse dado importante e lembramos que o Governo do Estado recebeu no prazo previsto as vacinas em quantidades suficientes para que todos fossem imunizados com ao menos uma dose. A campanha continua e, graças a esse avanço, estamos conseguindo diminuir a intensidade da doença”, destacou o secretário.

Por decisão do Comitê Extraordinário Covid-19, grupo que acompanha de perto a situação da pandemia no estado, todas as 14 macrorregiões de saúde seguem na onda verde, a mais flexível do plano de retomada segura e gradual das atividades econômicas.

Os indicadores que medem a doença estão em níveis seguros. Por isso, é possível manter, pela terceira semana seguida, todo o território mineiro nessa etapa.

A taxa de incidência da doença caiu 14% nos últimos sete dias. As solicitações de internações tiveram queda de 34,6% em quatro semanas.

Pela segunda semana seguida, todas as 14 macrorregiões de saúde do estado continuam na onda verde do Minas Consciente, plano criado para a retomada gradual e segura das atividades. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (16/9) pelo Comitê Extraordinário Covid-19, que faz o acompanhamento da pandemia.

Os cenários epidemiológico e assistencial permanecem favoráveis em todas as macrorregiões. Destaques para a queda de 36% nas solicitações de internações em quatro semanas e para o avanço da vacinação. Minas chegou a 86,44% da população adulta com pelo menos a D1 - primeira dose da vacina contra a covid, conforme a última atualização. E mais de 42% dos adultos já tomaram a segunda dose ou dose única. A taxa de incidência da doença caiu 5% nos últimos 14 dias.

A macrorregião de saúde Triângulo do Sul poderá avançar para onda verde do Minas Consciente a partir deste sábado (11/9). O progresso foi anunciado nesta quinta-feira (9/9) pelo Comitê Extraordinário Covid-19, grupo de trabalho e acompanhamento da pandemia.

Com a mudança, todo o estado ficará na fase mais flexível do plano criado para a retomada gradual e segura das atividades econômicas.

Indicadores da doença continuam com previsão de queda puxados pelo avanço da vacinação. Mais de 20 milhões de doses já foram aplicadas em Minas Gerais. Além disso, 40% da população adulta (18 anos ou mais) receberam a segunda dose ou dose única do imunizante.

Minas Gerais bateu a marca de 19.021.606 milhões de doses das vacinas contra a covid-19 já aplicadas na população. Com o avanço da vacinação e melhora dos indicadores, as macrorregiões do estado se mantêm estáveis no Minas Consciente, plano criado para a retomada gradual e segura da economia. A taxa de incidência da doença caiu 10% nos últimos dias no estado.

Assim, seguem na onda verde, a mais flexível do plano, as macrorregiões Triângulo do Norte, Nordeste, Leste, Centro, Centro-Sul, Oeste, Sul, Sudeste, Vale do Aço, Jequitinhonha, Norte e Noroeste. Apenas o Triângulo do Sul permanece na onda amarela. 

As deliberações do Comitê Extraordinário Covid-19, aprovadas nesta quinta-feira (2/9) valem a partir de sábado (4/9). 

As macrorregiões Triângulo do Norte e Nordeste progrediram para a onda verde do plano Minas Consciente, como anunciado pelo Comitê Extraordinário Covid-19 nesta quinta-feira (26/8). As duas localidades estavam na onda amarela, que agora inclui apenas o Triângulo do Sul. 

A onda verde conta, ainda, com as macrorregiões Leste, Centro, Centro-Sul, Oeste, Sul, Sudeste, Vale do Aço, Jequitinhonha, Norte e Noroeste, que se mantiveram com bons indicadores de controle da covid-19 na última semana. 

Minas Gerais tem, atualmente, todas as macrorregiões nas ondas amarela e verde do plano Minas Consciente, devido à melhora nos indicadores da pandemia na última semana. Nesta quinta-feira (19/8), o Comitê Extraordinário Covid-19 aprovou a progressão da macro Triângulo do Sul, a única que ainda estava na onda vermelha, a mais restritiva do plano. Com isso, Triângulo do Sul agora se junta às macros Triângulo do Norte e Nordeste na onda amarela. 

Neste mesmo cenário positivo, a macrorregião Leste do Sul deixou a onda amarela e evoluiu para a verde, fase menos restritiva do plano estadual. Também estão nesta classificação as macros Leste, Centro, Centro-Sul, Oeste, Sul, Sudeste, Vale do Aço, Jequitinhonha, Norte e Noroeste. 
 

O Comitê Extraordinário Covid-19, grupo de trabalho que acompanha a pandemia, aprovou o avanço da macrorregião Leste para onda verde do Minas Consciente.

O progresso para a fase mais flexível do plano de retomada gradual e segura das atividades econômicas foi possível porque os índices de monitoramento da doença estão apresentando melhorias há três semanas seguidas.

Assim, a macro Leste se junta ao Centro, Centro-Sul, Oeste, Sul, Sudeste, Vale do Aço, Jequitinhonha, Norte e Noroeste, que já estavam na onda verde.

Na onda amarela permanecem Nordeste, Leste do Sul e Triângulo do Norte.

Já o Triângulo do Sul é a única localidade que continua na onda vermelha devido ao aumento da incidência da doença e alta na ocupação de leitos. Por conta da situação mais delicada, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) irá fazer um acompanhamento mais profundo na macrorregião para tentar reverter o cenário.