Você está aqui:

Nossa Gente

“Aí está Minas: a mineiridade” – tão bem definiu o escritor João Guimarães Rosa para traduzir Minas Gerais  por meio daquilo que os mais de 20 milhões de mineiros, mesmo divididos em 853 municípios, carregam no peito e na alma. A mineiridade é a tradição e a liberdade, ainda que tardia. É o acolhimento e o povo trabalhador. É a cultura das festas religiosas e é a convivência familiar. É o afeto e a hospitalidade. É o cheiro bom do café coado na hora e do bolo de fubá que sai do forno. É a música, o barroco, a natureza e a fé. 

‘Ópocevê!’ A mineiridade aqui voa alto e pousa em belos patrimônios materiais e imateriais. É Santos Dumont, é Aleijadinho, Guimarães Rosa, Bituca, Mestre Athaíde e Carlos Drummond de Andrade.  Em cada esquina tem um “trem”, e em uma delas tem um clube. Tem montanha, tem queijo, tem cachoeira e tem café. 

Mineiridade é isso: mistura das influências africana, italiana, portuguesa, das tradições indígenas, é a moda de viola, a reza, o congado, a folia de reis e a benzedeira. Com toda essa trajetória, os mineiros foram construindo seus hábitos e seu jeito acolhedor. No tacho em que se produzem os costumes mineiros, os mais diversos ingredientes se misturam sem nunca neutralizarem uns aos outros. 

Conheça e saiba mais em:
http://www.minasgerais.com.br/
http://www.secult.mg.gov.br/minas300anos
http://circuitoliberdade.mg.gov.br/pt-br/espacos-br/centro-de-arte-popular-cemig
http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/